26 C
Belém
terça-feira, julho 16, 2024
Descrição da imagem

Avião de R$ 2 milhões apreendido no Pará foi incendiado

Date:

Descrição da imagem

Após receber uma denúncia de uma aeronave estava portando drogas e iria pousar em um aeroporto de garimpo no Pará, a Polícia Federal apreendeu realizou a apreensão do avião bimotor.

Acontece que esse avião avaliado em R$ 2,2 milhões, foi incendiado horas após de ter sido apreendido pela Polícia Federal, no aeroporto de um garimpo em Itaituba, sudeste do Pará. A operação ocorreu na madrugada da sexta-feira (31).

Os pilotos haviam sido presos em flagrante antes do incêndio, segundo a polícia. Eles foram encaminhados ao posto da Polícia Federal em em Itaituba, no Pará, que integra a delegacia de Santarém.

CONTEÚDOS RELACIONADOS:

Alfabetiza Pará põe educação do Estado em destaque no paísVídeo: suspeito de assaltar farmácia em Marituba é preso

Fogo começou por volta das 3h40, aponta PF. A causa do incêndio da aeronave ainda é desconhecida. O avião havia saído de Balsas, no Maranhão, com paradas em Confresa, no Mato Grosso e em Novo Progresso, no Pará.

PF suspeita que os pilotos façam parte de uma organização criminosa. Segundo a PF, a organização decidiu incendiar a aeronave para eliminar provas. Uma equipe foi ao local para fazer perícia sobre os destroços do veículo e colher informações que possam levar aos autores do crime.

DROGAS LEVADAS AO GARIMPO

Suspeita de que avião pousaria em garimpo de município de Itaituba. A ação teve início na quinta-feira (30) com a informação de que a aeronave com droga pousaria no aeroporto do garimpo do Creporizão. O distrito pertence à cidade de Itaituba, mas fica a cerca de 10 horas de distância por meio de estradas, segundo a polícia.

Galões de diesel e gasolina foram encontrados na aeronave. “Ao confirmarem que a aeronave estava clonada, policiais militares acionaram a PF, responsável por apurar esse tipo de crime”, informou a PF por meio de nota. Na revista ao avião, modelo Beech Aircraft, não foi localizada droga.

Quer saber mais notícias do Pará? Acesse nosso canal no Whatsapp

Piloto estava com certificado vencido e não podia pilotar desde 2020, aponta PF. “Ele e o copiloto tinham sido presos por tráfico de drogas, respondem na Justiça pelo crime e operavam avião clonado sem plano de voo”, disse a Polícia Federal.

Piloto e copiloto autuados por “expor a perigo a segurança do transporte aéreo e adulterar sinal identificador de veículo automotor”. A polícia informou ainda que a Justiça confirmou a prisão, em audiência de custódia, e os presos permanecem na Unidade de Custódia e Reinserção de Itaituba.

Compartilhe

Descrição da imagem

Mais Acessadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Descrição da imagem