8.3 C
Londres
terça-feira, abril 23, 2024
Descrição da imagem

Remo encara o Amazonas fora de casa neste sábado

Date:

Descrição da imagem

O “jogo do ano” é um clichê muito usado no futebol. Via de regra, os anos costumam ter vários jogos assim, sempre decisivos, sejam por títulos ou mudanças de rumos numa equipe. O confronto deste sábado à noite do Clube do Remo contra o Amazonas-AM, em Manaus (AM), segue esse roteiro. De um time desacreditado, com um vexame no currículo após uma desclassificação na primeira fase da Copa do Brasil, de uma troca de comando e saída de alguns dos principais jogadores, o Leão levantou, sacudiu a poeira e vem tentando dar a volta por cima. Ao vencer por 2 a 1 esse mesmo Amazonas na última quarta-feira, em Belém, o time de Gustavo Morínigo voltou a mostrar algumas das mesmas dificuldades técnicas do começo da temporada, mas mostrou um espírito de luta e solidariedade dentro de campo que ainda não havia dado as caras em 2024. É dessa forma que o Leão Azul vai encarar a Onça Pintada na Arena da Amazônia, às 18h, em busca da classificação para a semifinal da Copa Verde.Conteúdos relacionados:Matheus Anjos quer Remo cirúrgico para “matar” o AmazonasSTJD aceita pedido do Remo e reverte pena de Paulinho CuruáClube do Remo: Morínigo prevê jogo de volta mais difícilPor causa do resultado do meio de semana o Remo joga por um empate para ficar com a vaga. Se o Amazonas vencer pela mesma diferença de um gol, seja qual for o placar, o semifinalista será conhecido nas penalidades. Uma vitória amazonense por dois ou mais gols dá a vaga a eles. O confronto promete ser, mais uma vez, o mais difícil para o Leão na temporada e chamá-lo de “jogo do ano” vai além da manutenção na disputa de um título relevante. É uma partida que para quem busca uma reafirmação, uma confirmação de que esse elenco, com mais alguns reforços que estão por chegar, pode sim ser competitivo no momento mais importante do ano, a Série C. Encarar de igual para igual um adversário que está na segunda divisão e com um investimento substancialmente maior é uma amostra desse novo caráter da equipe.Um dos representantes desse novo momento é o centroavante Ribamar. Sua média de gols ainda não é das melhores para um camisa 9, mas a torcida tem sabido reconhecer que disposição não tem faltado. Ainda assim, o que não falta é vontade de balançar as redes mais vezes e a consciência de que é preciso fazer mais. 
  “Fico muito feliz de ter ajudado a equipe com gol, mas o mais importante foi a vitória. Eu acredito também que a marcação lá será mais forte, mas a gente também vai criar outras coisas, outras jogadas”, disse. “Eu acredito que posso melhorar muito ainda, acredito que tem muito pra acrescentar no jogo, para a equipe e para o Remo, e isso é com o tempo. Eu tenho apenas pouco mais de dois meses aqui no clube. Estou ganhando ritmo, tendo essa sequência e estou me vendo numa situação melhor”, completou o atacante.ATENÇÃORibamar alerta para perigos do adversárioQuando subiu para o elenco profissional do Botafogo-RJ, em 2018, aos 18 anos, Ribamar encontrou alguns ídolos recentes do Glorioso, como o goleiro Jefferson e o zagueiro Joel Carli, mas também encontrou jovens promessas como o atacante Sassá, hoje adversário. O jogador do Amazonas foi artilheiro da Terceirona ano passado e em 2024 já é novamente o goleador da Onça Pintada. Até por esse conhecimento, o jogador azulino tratou de dar mais uma dica aos companheiros de defesa.“O Sassá está tendo uma sequência boa também. Eu joguei com ele, eu tive a oportunidade de jogar com ele quando subi para o profissional no Botafogo. É um grande cara, é um grande jogador e eu o admiro muito. E cheguei a conversar com o Jonilson sobre as características dele, e ele tem a característica de jogo meio parecida com a minha. Então, eu falei com ele para ter muito cuidado, que o Sassá é muito perigoso”, conta Ribamar.Quer saber mais notícias do Clube do Remo? Acesse nosso canal no WhatsApp.Sobre a vitória do meio de semana, o atacante destacou a forma como a equipe se portou em campo. Mesmo saindo atrás no placar, o Remo manteve a organização em campo para buscar a virada. De acordo com Ribamar, uma amostra de que o Leão vive um momento diferente. “O professor cobra muito quanto à atenção, independente do resultado positivo, negativo, vitória, derrota, ele cobra muito sobre foco e atenção”, explicou o atacante, que prevê mais um embate equilibrado. “O Amazonas é uma equipe muito qualificada, mas também tem bons jogadores aqui”.ESTRATÉGIA TRAÇADAAgora titular absoluto, o meia Matheus Anjos já é uma das referências do time azulino, principal responsável pela criação das jogadas. Ele foi entrando aos poucos na equipe, correndo contra o tempo para recuperar a condição física, prejudicada pela reta final do ano passado. 
   “Acabei perdendo a pré-temporada, tive uma lesão no meu último jogo do ano passado, na Série B. Isso acabou atrapalhando um pouco esse começo de ano. Então, eu vim aqui e junto com o departamento médico, preparação física, fisiologia, trabalhar para, aos poucos, poder voltar. Isso me ajudou bastante. Eu acho que eu estou já perto dos 100%”.O confronto deste sábado diante do Amazonas, é apontado por ele como possivelmente mais complicado que o jogo em Belém. Matheus pregou a necessidade de se usar com inteligência a vantagem conquistada no jogo de ida. “Acho que a gente tem que saber administrar essa vantagem. Claro, a gente não pode ir lá e ficar só marcando. Eu acho que a gente tem que fazer o nosso jogo, que está definido já pelo treinador, que é o estilo do jogo dele, o estilo que a gente gosta, que a gente tem jogadores de qualidade para procurar o jogo”, disse. “Então, eu acho que a gente tem que usar essa inteligência de não ficar só atrás, mas também ir somente na boa, sem querer atacar todo o momento sabendo que pode ocorrer um contra-ataque deles”, completou o meia.Passar para a semifinal da Copa Verde teria um efeito a mais do que simplesmente passar de fase, diz o jogador, que ressalta que isso serviria também para avalizar o trabalho que vem sendo feito no Baenão desde a chegada de Gustavo Morínigo. “O Amazonas é uma equipe Série B, que está entre as 40 melhores do Brasil, então acho que isso mostra a força do nosso grupo. Fazer grandes jogos contra equipes assim dá uma confiança mais para a gente conseguir o nosso objetivo principal no ano, que é o acesso”.PARAZÃOClube do Remo e Tuna Luso entraram em acordo e a Federação Paraense de Futebol (FPF) confirmou que os dois clássicos semifinais do Campeonato Paraense serão no Mangueirão, nos dias 28 (quinta-feira) e 31 de março (domingo). O acordo envolveu valores da renda das duas partidas. Conforme regulamento da competição, a renda é do mandante. Diante disso, a Lusa terá uma cota fixa de renda. A diretoria azulina trabalhará para a logística de venda de ingressos para o jogo da ida, que tem mando do clube cruzmaltino.

Descrição da imagem

Compartilhe

Descrição da imagem

Mais Acessadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here