8.3 C
Londres
terça-feira, abril 23, 2024
Descrição da imagem

Morínigo cita lesões, mas cobra superação para próximo Re-PA

Date:

Descrição da imagem

Na entrevista coletiva após o Re-Pa da última quarta-feira (3), pelas semifinais da Copa Verde 2024, o técnico Gustavo Morínigo reconheceu as dificuldades físicas enfrentadas pelo elenco do Clube do Remo, destacando as lesões, o tamanho do grupo e o curto intervalo entre os jogos como fatores complicadores. No entanto, o treinador se adiantou em afirmar que não espera que esses obstáculos se tornem desculpas nos confrontos futuros diante do maior rival.”A cada jogo estamos sentindo um pouco isso. Para essa partida tivemos um dia a menos de recuperação. E jogadores que vêm jogando constantemente, caso do Jaderson, sofreram por essa condução. E tivemos também casos de câimbra. No segundo tempo caímos muito fisicamente”, explicou Morínigo.CONTEÚDO RELACIONADORemo: Rangel vê empate justo e destaca defesa milagrosaCuruá lamenta chances perdidas e espera “guerra” domingoPaysandu e Remo empatam em semi com chuva de gols perdidos”As dificuldades estão acontecendo, mas não podemos colocar como desculpas. É uma final e precisamos ir com o melhor que temos para esse momento. Independentemente de quem esteja cansado ou sobrecarregado pelos jogos, temos que fazer um grande esforço para tentar entrar de uma melhor maneira e tentar fazer um bom jogo”, completou o comandante azulino, já projetando o clássico do próximo domingo, pelo jogo de ida da final do Parazão 2024.Quer saber mais notícias do Clube do Remo? Acesse nosso canal no WhatsApp.O técnico elogiou o desempenho inicial de sua equipe, mas ressaltou a importância de aproveitar as oportunidades criadas. “Tivemos muitas chances de marcar o gol, mas não fizemos. E no futebol você não pode desperdiçar o seu momento. E não aproveitamos esse momento no primeiro tempo”, destacou.TREINADOR ESPERA SUPERAÇÃO DO ELENCO Para os próximos desafios, Morínigo espera uma superação por parte dos jogadores, enfatizando a importância do clássico e dos confrontos seguintes. “Acho que não é nada diferente do que tentamos fazer desde que estamos aqui. Acreditar em sair para o jogo, em dar 100%, em trabalhar todos juntos, tanto defendendo como atacando”, afirmou. “É uma exigência minha, pessoal, que todos têm que brigar e ninguém pode entrar de outra maneira. Vamos por esse caminho, mas infelizmente estamos sofrendo com as lesões”, concluiu.VEJA MAIS:

Descrição da imagem

Compartilhe

Descrição da imagem

Mais Acessadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here