Não foi tranquilo, mas acabou favorável ao Remo

O Leão precisou rugir bem alto no Mangueirão, na tarde de ontem. O Jacaré deu duas mordidas bem fortes, mas os azulinos mostraram sua força e conseguiram virar o marcador. Além disso, o Leão teve algumas peças importantes de fora. A mais significativa delas foi o treinador Josué Teixeira, que foi expulso no Re-Pa e não pôde ficar à beira do gramado. Em seu lugar, esteve o auxiliar Márcio Roberto, que comandou bem a equipe atrás da virada no marcador.

Segundo Marcinho, o Clube do Remo fez um jogo de superação, tendo de correr atrás de um placar desfavorável de 2 a 0. Para ele, isso mostra a coesão do grupo azulino, na sua maioria formado por jogadores locais e das categorias de base. “Dos 20 concentrados, 14 moleques da base e atletas locais. Isso só mostra a força deste grupo de superar, de virar uma partida como a de hoje (ontem)”, destacou o auxiliar.

Marcinho ressalta que não foi só nos 90 minutos que o Remo se superou. O técnico do jogo de ontem conta que a equipe também sofreu com um desgaste. No último domingo teve o Re-Pa, em seguida, o Remo viajou para Brusque-SC, onde jogou na quinta, e ontem pegou o Paragominas. “Esse nós tínhamos que ganhar de qualquer forma. Como foi na superação, para conseguir a liderança do grupo”.

AGENDA

O Remo se reapresenta na tarde de hoje. Os jogadores que não atuaram, vão participar de um amistoso contra a equipe sub-17 do Leão. Os demais atletas devem fazer um trabalho regenerativo. O próximo compromisso azulino é na sexta-feira de carnaval, em Cametá, às 16h, já pelo segundo turno do Estadual.

(Café Pinheiro/Diário do Pará)


Comentário